quarta-feira, 20 de maio de 2015

Evento sustentável na 13ª Semana de Museus: convite


Conforme falávamos no post anterior, o tema da 13ª Semana de Museus, que está acontecendo nesta semana, em museus e centros culturais de todo o país, é baseado na Sustentabilidade: "Museus para uma sociedade sustentável" - o mote da semana - dá ênfase à importância da conscientização das ações humanas sobre o planeta, reforçando a necessidade de alinhamento do modelo econômico e social a uma perspectiva de continuidade da vida na Terra". E como não podemos separar nosso museu das questões ambientais, não poderíamos deixar passar uma oportunidade dessas para refletirmos a respeito do assunto - e também para sensibilizarmos a maior quantidade de pessoas possível nesta direção.

Todos os sábados o Núcleo Santa Teresa da Rede Ecológica entrega
alimentos orgânicos a seu associados em nosso museu.

Desta forma, em conjunto com a Rede Ecológica de Santa Teresa - que já é nossa parceira há algum tempo - criamos uma programação para crianças, jovens e adultos aproveitarem nossa área verde no próximo sábado, dia 23/05, a partir das 10h da manhã. Vai ter palestra, caminhada nas trilhas, conversa, encontro, música, visitas ao museu, venda de orgânicos, lanchinho também orgânico, enfim: de um tudo para nos sentirmos conectados à natureza ou, pelo menos, nos aproximarmos mais de nosso ambiente natural, tão distante de nosso dia a dia, na maior parte dos casos.

A programação completa você confere abaixo, mas o mais importante é vir e aproveitar as pessoas que têm essa mesma necessidade de valorizar a natureza, e nosso parque, inteirinho à sua disposição! E vamos torcer para termos um dia bonito, não é?*

10h às 13h - Visita às Trilhas do Parque do Museu

10h às 17h - Museu aberto para visitação: entrada franca

10h30 às 11h - Apresentação Semana de Museus, Museu Benjamin Constant e Rede Ecológica

11h às 12h - Banda Elektromato: formada por músicos brasileiros, argentinos e uruguaios tocando melodias e cantos dos povos nativos

Lanche colaborativo - Tragam um alimento ou bebida preferencialmente não industrializado
                                    Evitem os descartáveis: tragam seu copo ou caneca!
                                    Haverá Suco Vivo do Terrapia e produtos da Feira de Orgânicos de Santa Teresa para venda

12h às 13h - Palestra com o grupo "Águas de Março" sobre "Sistemas de Captação de Água de Chuva de Baixo Custo". Facilitador: Pablo del Arco

13h30 às 14h30 - Rodas de conversa
                           Campanha Xô saco plástico: reaproveitamento e ações de sustentabilidade com Andrea Canto
                           Campanha permanente contra os Agrotóxicos com Ruth Freihof, Graciela e Juliana
                           Terrapia com Messias Vital e Feira de Orgânicos de Santa Teresa com Renato Martteleto

14h30 às 15h - Oficina de cartazes/preparação para Ato Público no Largo do Machado: trazer cartolina, barbante, tesoura e canetinhas

* A programação poderá ser alterada em função das condições climáticas.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

13ª Semana de Museus

Belo quadro de Lasar Segall inspirou o material gráfico da 13ª Semana de Museus.

Verdadeira temporada cultural que acontece em todo mês de maio, comemorando o Dia Internacional dos Museus - 18 de maio - teremos na próxima semana a 13ª Semana de Museus. Organizada pelo IBRAM - Instituto Brasileiro de Museus, autarquia do Ministério da Cultura a qual somos vinculados - a semana reúne diversos eventos, de norte a sul do país, que ocorrem em todos os museus que aderem ao projeto, e que permanecem durante uma semana abertos para visitação e programação especial.

A semana sempre tem um tema base e o deste ano é o (super atual) "Museus para uma sociedade sustentável". Indicado pelo ICOM - Conselho Internacional de Museus, a ideia do tema é a de nortear as atividades durante a semana, enfatizando a importância da conscientização das ações humanas sobre o planeta e reforçando a necessidade de alinhamento do modelo econômico e social a uma perspectiva de continuidade da vida na Terra.

De 18 a 22/05, o sobrado em estilo colonial que abriga o Museu Victor Meirelles,
em Florianópolis, Santa Catarina, receberá a Semana de Palestras e Oficinas
“Diálogos entre Arte e Sustentabilidade”.

No período de 18 a 24 de maio muita coisa boa e de grande interesse cultural e/ou artístico vai acontecer nos museus e também em alguns centros culturais brasileiros. São nada menos que 1.378 Instituições envolvidas e mais de 4.500 atividades extras. Veja alguns exemplos:

  • Em Manaus, no Amazonas, o Museu Amazônico, logo no dia 18, exibirá uma coleção de garrafas otimizadas em conjunto com contação de histórias para crianças. No dia seguinte a palestra "Saberes ambientais do povo Sateré Mawé proferida pela Professora. MsC. Telma Marreiro é a atração.

O Museu da República, aqui no Rio, abrigará a exposição "Um Beijo na Guanabara": inspirada no quadro
de mesmo nome, de Carlos Chambelland (1926), a mostra refletirá sobre a despoluição das águas da
Baía da Guanabara. receberá a Semana de Palestras e Oficinas: “Diálogos entre Arte e Sustentabilidade”.


  • Na cidade de Caetité, na Bahia, o Arquivo Público e Museu da cidade promoverá uma exposição (com direito à Visita Guiada) e mesa redonda que têm diretamente a ver com sustentabilidade: "Os Catadores de Papel Vão ao Museu: conhecer, pesquisar, preservar" é a mostra que acontece durante o dia e, à noite, no dia 18, o tema da discussão será "Museu sustentável e exposição de catadores de papel" - COOPERCICLE - Cooperativa de Coleta Seletiva e Reciclagem de Caetité.

Em Cuiabá, Mato Grosso, o Museu do Artesanato do estado oferecerá, no dia 19/05,
para crianças de 8 a 12 anos, a oficina “Ilustracinhos e Ilustrações em
materiais reaproveitáveis”.


  • Em Brasília, o Museu de Anatomia Humana da UNB oferece no dia 22/05 entre 9h e 17h um minicurso com o tema "Sustentabilidade em atividades técnicas de museus de ciências. Qual o ônus? Pra quem fica o bônus?".

O Instituto Câmara Cascudo localizado no centro da cidade de Natal,
no Rio Grande do Norte, participa da semana de museus com a mostra
“A Sustentabilidade nos textos cascudianos: Um homem à frente
do seu tempo” - a partir do dia 19/05.


No Museu Emílio Goeldi, em Belém do Pará, a mostra "Minha Ilha – Campos abertos do Marajó”
traz obras do fotógrafo Octavio Cardoso.


  • Em Joinville, Santa Catarina, o Museu Nacional da Imigração e Colonização tem duas mostras super antenadas: “Museu Social e Sustentabilidade” - montada pela equipe do Museu e por professores e alunos do Mestrado em "Patrimônio Cultural e Sociedade" da Universidade de Joinville - e "O uso do desuso”: demonstração e exposição de tecelagem com materiais reaproveitáveis, com a Professora Luciane Sell da Silva, alunas do curso de tecelagem da Casa da Cultura e do projeto “Mãos que Tecem”.

Para ter acesso à programação completa em todo o país, acesse o site do IBRAM e clique no ícone da 13ª Semana de Museus, que traz uma bela reprodução de Lasar Segall, "Menino com Lagartixa", de 1924.

Um evento sustentável em nossa área verde vai acontecer no dia 23/05, sábado.
Breve maiores informações!


Nosso museu fará parte dessa festa toda, estando aberto no período de 18 a 23/05, das 10h às 17h, e no dia 24/05 das 13h às 17h. Vamos ter também um evento sustentável, mas isso a gente conta depois!

E uma novidade: utilize a hashtag " #semanamuseus2015 " em suas publicações nas mídias sociais e conte pra todo mundo que você curte museus!
Acompanhe o IBRAM nas mídias sociais:
twitter.com/museusbr
facebook.com/museusbr
plus.google.com/+MuseusBR
instagram.com/museusbr

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Outono


" Quero apenas cinco coisas...
Primeiro é o amor sem fim
A segunda é ver o outono
A terceira é o grave inverno
Em quarto lugar o verão
A quinta coisa são teus olhos
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser… sem que me olhes.
Abro mão da primavera para que continues me olhando."
Pablo Neruda - "Poema de Outono"




Delicada estação que nos leva o calor e a agitação típicas do verão, o outono não deixa de ter seus encantos. Neste pequeno ensaio fotográfico de nossa recepcionista Ariana Costa, mostramos um pouco da beleza outonal em nosso parque.









Para terminar, outro belo poema sobre o outono. Dessa vez de Quintana:

"O outono toca realejo
No pátio da minha vida.
Velha canção, sempre a mesma,
Sob a vidraça descida...
Tristeza? Encanto? Desejo?
Como é possível sabê-lo?
Um gozo incerto e dolorido
De carícia a contrapelo...
Partir, ó alma, que dizes?
Colher as horas, em suma...
Mas os caminhos do Outono
Vão dar em parte nenhuma!
Mário Quintana - "Canção de Outono"

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Comemorando os 450 anos do Rio: o passaporte dos museus cariocas

Na cerimônia de lançamento no Museu da República, as autoridades destacaram a importância do
incentivo à visitação dos inúmeros museus cariocas.

Em uma parceria entre o Comitê Rio 450 anos, da Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, e o Instituto Brasileiro de Museus - IBRAM/MinC - ao qual somos vinculados - foi criado o Passaporte dos Museus Cariocas: trata-se de um caderninho de bolso que pode ser retirado em alguns museus localizados em pontos estratégicos da cidade e que registrará a passagem de quem o possuir pelos museus da cidade. É um objeto simbólico que permite a entrada gratuita das pessoas em um "novo mundo" de cada museu, como se fosse um passaporte internacional. O passaporte deverá ser utilizado nos dias de gratuidade de cada museu, conforme agenda publicada no próprio caderninho.

Estivemos no lançamento do Passaporte no Museu da República onde ficamos conhecendo um pouco mais sobre o "documento". Segundo o presidente do IBRAM, Carlos Roberto Brandão e o secretário de cultura do Rio, Marcelo Calero, o objetivo é estimular a visitação aos museus cariocas e tornar mais conhecidos museus menos badalados.

O passaporte.


O passaporte pode ser retirado nos seguintes museus:
Museu Nacional de Belas Artes
Museu da República
Museu Imperial
Museu de Arte do Rio
Museu Aeroespacial
E Centro Cultural Banco do Brasil
Todas essas instituições estão incluídas na lista de espaços participantes.

No próprio passaporte o visitante pode consultar as instituições que participam do projeto e os dias da semana em que cada uma poderá ser visitada de graça. O benefício vale até o dia 31 de dezembro e está prevista nova edição para 2016, em função das Olimpíadas que acontecerão em nossa cidade.

Nosso Museu participa do grupo de 43 espaços culturais que aderiram ao convênio e esperamos todos, aos domingos, com seus passaportes na mão para que o carimbemos devidamente!

Clique aqui para ver todas as instituições participantes, os dias de visitação gratuita e para tirar dúvidas.

terça-feira, 31 de março de 2015

Mas afinal de contas, onde fica a Escada do Selarón?

A primeira visão da escadaria que leva ao Convento de Santa Teresa: conhecida mundialmente como "a Escada do Selarón".

Uma das atrações turísticas mais procuradas de Santa Teresa é, com certeza, a já famosa "Escada do Selarón". Em visita ao nosso museu, vários turistas e grupos de turistas nos perguntam COMO chegar lá, pois não há sinalização adequada, nem mesmo uma marca nos mapas que eles sempre carregam, de onde fica esta escada...

Resolvemos então "botar a mão na massa" e, pelo menos, mostrar onde fica a tal escada. Quem sabe agora, até mesmo moradores da cidade, que nunca estiveram na região, possam descobrir e curtir toda a engenhosidade de um homem que transformou um lugar. Veja o trecho e o roteiro que nossos recepcionistas e técnicos em turismo, Ariana Costa e Paulo Ribeiro, prepararam para facilitar o passeio:


Totalmente revestida em azulejos - inteiros, cacos ou partes - e outros materiais do tipo,
a escadaria se destaca na paisagem de Santa Teresa.

Os bairros da Lapa e de Santa Teresa não seriam os mesmos sem a existência de Jorge Selarón. Nascido em uma pequena cidade do Chile em 1947, ao completar 10 anos, foi conhecer Buenos Aires. E nunca mais parou: seu desejo de desbravar o mundo era grande demais para que ele se fixasse em qualquer lugar. E, efetivamente, após completar 17 anos, pôde concretizar esse desejo, viajando para mais de 50 países, incluindo vários na Europa e alguns do Oriente, como a Índia. Depois, estabeleceu-se no Rio de Janeiro.

A presença constante de turistas torna o local animado e ainda mais curioso.
Já em sua nova residência - agora fixa – no ano de 1990, Selarón iniciou seu trabalho mais conhecido, que interliga Lapa a Santa Teresa, renovando a escadaria de 215 degraus que ficava em frente à sua casa e levava ao Convento de Santa Teresa - monumento que marcou o início do povoamento da área. A princípio, seus vizinhos não viam com bons olhos o trabalho do artista, muitas vezes zombando-o e desencorajando-o a continuar seu trabalho. Mas não foi o que ocorreu: Selarón tinha vontade firme e persistiu, sempre desenhando mulheres negras grávidas (segundo ele, um problema pessoal), e cada vez mais adicionando cores a esse verdadeiro "ponto de encontro" da cidade do Rio de Janeiro. Porém, a idade foi chegando e, como único zelador e criador de sua escada, tinha grandes custos para arcar com o mesmo e por isso começou a vender as pinturas de todos os lugares que já havia visitado.

 

Após anos de trabalho, muito empenho e muito dinheiro pessoal investidos, a escadaria do Convento de Santa Teresa tornou-se o sucesso que é até hoje, sendo tombada pela Prefeitura em 2005 e se transformando em um dos marcos da cidade – inclusive com “novo nome”, a conhecida Escada do Selarón. O lugar foi cenário de gravações de vídeo clipes como o de Michael Jackson ("They Don´t Care About Us") e Snoop Dog ("Beautiful"), além de programas de televisão, filmes, séries e até mesmo um ensaio para uma edição da revista Playboy norte americana.

No entanto, mesmo com esse sucesso e, como consequência, uma maior circulação de pessoas, a venda e o consumo de drogas, persistem na região. Afinal, a vida não é um mar de rosas, e no dia 10 de janeiro de 2013, aos 65 anos, Jorge Selarón foi encontrado morto no local de seu maior trabalho: a escadaria a qual dedicou uma boa parte de sua vida. Junto com sua morte, a escadaria estava por fim, terminada, já que Jorge Selarón não deixou "herdeiros artistas".

Após a infeliz perda de Selarón, a Prefeitura do Município do Rio de Janeiro passou a zelar pela escadaria, que fica entre a Rua Joaquim Silva e a Ladeira de Santa Teresa.

E como se chega à escada do Selarón?

Criamos dois mapas bem básicos com três roteiros possíveis. No primeiro, você vê como, saindo de nosso museu, pode percorrer o bairro de Santa Teresa num passeio de cerca de 35 minutos passando por ladeiras e vielas tradicionais no bairro, além de algumas de suas atrações turísticas. Veja:



1º roteiro
PARTINDO DO MCBC
Tempo: aproximadamente 35 minutos
Caminhada moderada com ladeiras

Clique para ver maior.



1 – Partindo do Museu Casa de Benjamin Constant- rua Monte Alegre, 255;

2 - Suba a rua Monte Alegre e vire a primeira à esquerda;
Sugestão: Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo e Biblioteca Pública de Santa Teresa - rua Monte Alegre, 306 - casa de uma das mais importantes moradoras de Santa Teresa, mecenas das artes na cidade no século XIX. O Centro Cultural apresenta algumas exposições de arte e muitos eventos nos fins de semana;

3 - Suba a rua Paschoal Carlos Magno;

No caminho para o Largo dos Guimarães, ainda na rua Paschoal Carlos Magno,
diversos bares e restaurantes atendem aos mais diversos paladares.
 Sugestão: nesta rua você encontra inúmeros bares e restaurantes que servem desde lanches até refeições completas, além da Igreja Luterana;

4 - Largo dos Guimarães;

E já no Largo dos Guimarães, o sobrado do Cine Santa exibe filmes da atualidade com um jeitinho de antigamente.

Sugestão: se tiver um tempinho, curta um bom filme no "Cine Santa", ou sente-se em algum lugar da região e observe os transeuntes - gente típica do lugar ou, muitos turistas...

5 – Siga em frente na rua Almirante Alexandrino em direção à rua Dias de Barros;

Trecho da rua Almirante Alexandrino vista do Largo do Guimarães: pequenas lojas, bares e restaurantes estão aqui mesmo.

Sugestão: no trajeto você poderá conhecer diversas lojinhas de souvenirs;

6 - Largo do Curvelo;
 Sugestões: em um dos pontos mais conhecidos de Santa Teresa, aproveite o mirante com uma linda vista para o Pão de Açúcar;

A belíssima vista que se tem da Enseada de Botafogo e do Pão de açúcar, a partir do Parque das Ruínas.
Clique para ver maior.

Se quiser apreciar uma incrível vista da cidade, você pode virar a esquerda, na rua Murtinho Nobre, subir alguns metros e aproveitar a vista do Parque das Ruínas e conhecer o Museu da Chácara do Céu;

Vista do Centro do Rio também a partir do Parque das Ruínas.


7 - Seguindo a rua Dias de Barros, vire na esquina do “Bar do Serginho” e desça a Ladeira de Santa Teresa;

8 - Após passar pela rua Gonçalves Fontes, vire à esquerda e você chegou na Escada do Selarón!



PARTINDO DOS ARCOS DA LAPA OU DO PASSEIO PÚBLICO:
Tempo: aproximadamente 10 minutos
Caminhada leve

Clique para ver maior.



2º roteiro

1 - Arcos da Lapa
Aqueduto construído entre os séculos XVII e XVIII, bem no Centro da cidade do Rio de Janeiro, que, a partir de 1896, passou a ser utilizado como viaduto para os bondes de ferro da Companhia de Carris Urbanos, principal meio de acesso ao bairro de Santa Teresa.

2 - Atravesse a Avenida Mem de Sá e entre na primeira rua à esquerda, esquina com o “Lapa Irish Pub”;

3 - Siga por toda a rua Joaquim Silva;

4 - Vire a primeira à esquerda, na esquina do “Hotel para Solteiros J Silva”, e pronto: você chegou na Escada do Selarón!

Um dos registros de Jorge Selarón.


3º roteiro

1 - Passeio Público;
Parque localizado no bairro da Lapa, na cidade do Rio de Janeiro, inaugurado no século XVIII, tendo sido o primeiro parque público das Américas. Foi projetado pelo o escultor e arquiteto Valentim da Fonseca e Silva - o "Mestre Valentim";

2 – A partir da rua Teixeira de Freitas, atravesse e entre na rua Tenório Regadas, seguindo sempre em frente;

3 – Atravesse a rua Joaquim Silva e continue seguindo em frente – chegou à Escada do Selarón!