terça-feira, 18 de novembro de 2014

Sítios históricos da República no Rio de Janeiro

Capital do Império e centro nervoso de toda a política em nosso país à época da Proclamação da República, o Rio de Janeiro concentra alguns pontos de interesse históricos quando se fala no assunto. Nesta semana em que comemoramos os 125 anos da mudança do regime, mostramos alguns desses lugares que formam um verdadeiro Circuito Histórico da República Brasileira.

Uma das raras fotos do interior da Igreja Positivista.

Igreja Positivista - Fundada em maio de 1891 por Miguel de Lemos, foi o primeiro edifício construído no mundo para difundir a "religião da humanidade", de acordo com a filosofia positivista. É uma construção das mais interessantes mas, conforme post que publicamos este mês, hoje, o também chamado "Templo da Humanidade" - localizado na rua Benjamin Constant, na Glória - está sendo recuperado em uma ação conjunta da Igreja Positivista, do Instituto Brasileiro de Museus - IBRAM e da Superintendência de Museus do Estado do Rio de Janeiro e, portanto, não está aberta à visitação.
Contato: ipb@igrejapositivistabrasil.org.br

Uma visada diferente de nosso Museu Casa

Museu Casa de Benjamin Constant - nosso museu casa foi a residência de um dos pilares da renovação do regime: Benjamin Constant, que recebeu o título póstumo de "Fundador da República", realizou aqui alguns encontros políticos da maior importância para a república nascente. A casa foi adquirida pelo Patrimônio Histórico logo após seu falecimento, ainda antes da promulgação da primeira Constituição Republicana, em 1891, e mantida como usufruto da família até 1961, quando então começou a ser restaurada para transformar-se no que é hoje: um ponto dedicado a manter acesa a memória de um dos principais personagens de nossa história.
Rua Monte Alegre, 255 - Santa Teresa - Rio de Janeiro - RJ.
Visitas de quarta a sexta das 10h às 17h e aos sábados e domingos das 13h às 17h.
Tels.: (21) 3970-1168 e (21) 3970-1177 - e-mail mcbc@museus.gov.br


O famoso palacete cor de rosa do Itamaraty no Rio
Museu Histórico e Diplomático do Itamaraty - um palacete localizado em pleno centro do Rio, verdadeira joia do estilo Neoclássico de fins do século XIX, foi construído a pedido de Francisco José da Rocha, o Conde de Itamaraty, e projetado por José Maria Jacinto Rebelo, que estudou com Grand Jean de Montigny. Oitavo prédio a ser tombado a nível federal em nosso país, o palácio foi ocupado pelo novo governo republicano que o ocupou até 1897, momento em que passou ao Ministério das Relações Exteriores.
Avenida Marechal Floriano, 196 - Centro - Rio de Janeiro - RJ.
Visitas guiadas com duração de 45 minutos - Tel.: (21) 2253-2828
Site: www.itamaraty.gov.br

Dentro do "Campo de Santana", o Monumento a Benjamin Constant.

Praça da República - Monumento a Benjamin Constant - conhecida atualmente no Rio de Janeiro como "Campo de Santana", a praça teve seus jardins projetados pelo francês Glaziou - praticamente o mestre dos jardins públicos no Brasil no século XIX. Trata-se do local onde foi proclamada a República em 15 de novembro de 1889, e por isso foi chamada durante muito tempo de "Praça da Aclamação". É onde ergue-se um monumento a nosso patrono, Benjamin Constant. Construído em granito e bronze, tem em seu topo a "Estátua da Humanidade", com traços de Clotilde de Vaux, musa inspiradora de Auguste Comte, criador do Positivismo.
Aberta todos os dias, das 9h às 17h.

Vista noturna da Casa de Deodoro, no Rio.

Casa de Deodoro - local de importância fundamental no processo republicano, a residência do Proclamador da República, Marechal Deodoro da Fonseca, foi local da definição do primeiro ministério republicano, já antes da proclamação em si, no dia 9 de novembro. No dia 19 de novembro também foi o local onde se decidiu o novo desenho da bandeira nacional.
Praça da República, 197 - Centro -Rio de Janeiro - RJ - Tel.: (21) 2222-0126
E-mail chd@fortedecopacabana.com

A imponência neoclássica do Palácio do Catete ou Museu da República.

Museu da República - Chamado de "Palácio Nova Friburgo" no período imperial, transformou-se em Palácio do Catete, após a Proclamação da República. Coração do poder executivo no país até 1960, foi palco de inúmeras articulações políticas, tais como as declarações de guerra à Alemanha em 1917, e ao Eixo em 1942, além de fatos marcantes em nossa história, tais como o suicídio do presidente Getúlio Vargas em 1954. Com a transferência da capital para Brasília, foi transformado em Museu da República a pedido do então presidente, Juscelino Kubitschek. O atual museu foi inaugurado em 15 de novembro de 1960 e tem em seu acervo diversas obras de arte, mobiliário e documentos fundamentais da história do Brasil republicano.
Rua do Catete, 153 - Catete - Rio de Janeiro - RJ. Tel.: (21) 3235-2650.
Site - http://museudarepublica.museus.gov.br

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

165 anos do Instituto Benjamin Constant: uma referência

Uma maquete do Instituto Benjamin Constant que mostra bem a grandiosidade do prédio que o abriga.

Apesar de ter sido comemorado em 17 de outubro último, os 165 anos do Instituto Benjamin Constant não poderiam "passar em branco" em nosso blog. Nossos recepcionistas - e técnicos em turismo - Ariana Costa e Paulo Ribeiro, realizaram uma visita guiada ao prédio do Instituto, para conhecê-lo melhor, e nos trazer um pedacinho desta comemoração que, com certeza, é mais um louro na memória de nosso patrono, Benjamin Constant. Confiram o que eles viram:

Quem passa pela Avenida Pasteur, no charmoso bairro da Urca, não imagina o tamanho da importância de um de seus prédios para a educação do país. O Instituto Benjamin Constant - IBC é um dos centros de referência de toda América Latina em saúde e educação para deficientes visuais. Inaugurado em 1854, comemora seus 165 anos de existência oferecendo todo o suporte aos seus alunos: de uma vida saudável à educação integral.

Os alunos do Instituto Benjamin Constant contam com modernos aparelhos para
os auxiliarem a perceber melhor o mundo e facilitar seu aprendizado.


O IBC oferece desde simples consultas e exames ligados à visão humana, passando por tratamentos que buscam recuperar ou minorar problemas de visão, até inserir ativamente na sociedade aqueles que efetivamente se tornam deficientes visuais. No Instituto existem diversos tipos de trabalhos sociais, tais como a conversão de materiais da linguagem escrita para o sistema braille ou para arquivos de áudio, amplo aparato tecnológico que possibilita ampliação de publicações para portadores de baixa visão, e sistemas integrados a microcomputadores que proporcionam melhor utilização por parte dos alunos desta ferramenta tão básica na atualidade.

Um dos principais espaços do Instituto é a "Biblioteca Louis Braille" que oferece acesso diversificado de títulos para todas as idades. Estabelecida em um anexo ao prédio principal, a biblioteca recebe doações de livros em braille da Fundação Dorina Nowill, que trabalha com a conversão de grandes nomes da literatura brasileira e internacional, oferecendo assim o que há de melhor e mais atual para os alunos do Instituto. Em outros espaços do prédio foram montados outros ambientes importantes para o treinamento dos alunos, tais como as salas sensoriais de biologia e geografia além do Teatro Benjamin Constant.

Uma das cabines de áudio descrição no Instituto.

Além de doações, o IBC também recebe patrocínio de grandes empresas para desenvolver projetos como a oficina de cerâmica, que permite aos alunos expressar artisticamente a sua forma de "ver" o mundo.

Como podem perceber, o Instituto que leva o nome do nosso patrono conta com um programa amplo e com profissionais que se esforçam todos os dias para formar cidadãos independentes para aproveitar cada momento da vida. Vida longa ao Instituto e que venham muitos outros anos de existência!

Na sala da Oficina de Cerâmica, o resultado do trabalho dos alunos, estimulados também em termos artísticos.


Para saber mais sobre Benjamin Constant e o Instituto que leva seu nome, leia este post aqui.

Notas importantes:
1 - Como sempre lembramos, nosso museu foi a casa onde Benjamin Constant viveu. Portanto, sua memória como professor do Instituto dos Meninos Cegos (denominação do Instituto Benjamin Constant à sua época), como militar combatente na Guerra do Paraguai, e como um dos principais revolucionários da implantação da República no Brasil, permanece lembrada aqui em cada peça, em cada detalhe, em cada trabalho. Já o Instituto que ora falamos continua a desenvolver o trabalho que nosso patrono efetuou em vida, ainda no século XIX, na área de educação e formação de deficientes visuais;

2 - Assim sendo, quem precisar de consultas, exames ou qualquer outra ação que tenha a ver com a área médica, ou com a educação de deficientes visuais, deve entrar em contato com o Instituto, através de seu site ou telefone geral: (021) 3478-4442.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Ação na Igreja Positivista

Marcos Felipe de Brum Lopes 

A Igreja Positivista - ou "Templo da Humanidade" - fica na rua Benjamin Constant, na Glória, Rio de Janeiro.


Que o nosso museu – e o nosso patrono – têm tudo a ver com o Positivismo, muitos já sabem. Benjamin Constant conheceu a doutrina positivista através de seus estudos de matemática, e dela não se afastou até o fim de sua vida.

Elaborado pelo pensador francês Auguste Comte, o Positivismo foi um conjunto de doutrinas filosóficas com desdobramentos culturais e políticos que marcou profundamente o século XIX. No Brasil, chegamos a ter um "Apostolado Positivista" (com a missão de catequizar a sociedade e disseminar seus ensinamentos), além de um "Templo da Humanidade", também conhecido como Igreja Positivista Brasileira, a IPB.

Nosso historiador, Marcos Felipe, "com a mão na massa", ajudando a higienizar as obras da IPB.


Os que já passaram pela Rua Benjamin Constant, na Glória, talvez tenham percebido a fachada imponente do Templo da Humanidade, com suas máximas filosóficas “O Amor por princípio, a Ordem por Base e o Progresso por fim” e “Os vivos são sempre, e cada vez mais, governados necessariamente pelos mortos”. Curiosidade não deve faltar a quem contempla o prédio de fora, já que há muito tempo ele está de portas fechadas. A fachada um tanto mal tratada e a estrutura escorada nos levam a pensar sobre as razões pelas quais uma edificação tão única se encontra nesse estado. Mas é exatamente aí que está a novidade.

Está em curso uma ação conjunta da Igreja Positivista, do Instituto Brasileiro de Museus - IBRAM e da Superintendência de Museus do Estado do Rio de Janeiro, cujo principal objetivo é a reestruturação do Templo. Na sexta-feira, 10 de outubro, o historiador que ora vos escreve, participou da transferência de parte do acervo iconográfico que se encontrava no interior do Templo, agora acondicionado num anexo. Os quadros passaram por uma primeira etapa de higienização. O acervo, que conta com obras de Eduardo de Sá e Décio Villares, será totalmente removido nos próximos dias para que o Templo seja preparado para obras de restauro.

A dimensão de alguns quadros do "Templo da Humanidade".

Como instituição que tem no Positivismo uma de suas temáticas, festejamos e parabenizamos os envolvidos nesse esforço de preservação e restauração de um exemplar ímpar do patrimônio histórico e cultural brasileiro.

Nota: Ontem, 10/11, um mês após este primeiro "encontro de instituições" na Igreja Positivista - com o objetivo de efetuar uma vistoria e uma higienização básica visando as obras de restauro do templo - aconteceu o seminário “Positivismo Ontem e Hoje”, organizado pela Fundação Casa de Rui Barbosa, pelo Consulado Geral da França e pela Igreja Positivista do Brasil. O evento contou com a participação de pesquisadores brasileiros e do filósofo francês Jean-François Braunstein, presidente da Maison Auguste Comte em Paris, e a IPB apresentou seu projeto de restauração e revitalização do Templo da Humanidade. Aos poucos vamos contando tudo por aqui.

Para saber mais sobre Positivismo, clique aqui.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Nosso Outubro Rosa

Um dos cartazes da campanha do 'Outubro Rosa' do INCA, neste ano.

Sim, já estamos em novembro mas não podemos deixar de registrar nossas modestas atividades em torno do Outubro Rosa. Como você bem sabe, no ano passado já mostramos aqui o dia em que todos nós - servidores e colaboradores - usamos a fita rosa como um aviso, um alerta a todas as mulheres para o fato de que DEVEM realizar anualmente sua mamografia. A campanha é antiga, nasceu nos EUA, e hoje em dia espalhou-se pelo mundo: além dos monumentos iluminados em tons de rosa agora também vemos inúmeras outras iniciativas de conscientização.

Neste ano, usamos a fitinha rosa e também presenteamos nossa primeira visitante no dia 8 de outubro - data que, antigamente, era considerada o "dia mundial de combate ao câncer de mama" - com um kit de publicações de nosso museu. Marta Delpaz Peral, economista de 46 anos, é um "alvo" da campanha que preconiza o autoexame como a primeira forma de cuidado consigo mesma, seguida pelos exames anuais com acompanhamento médico.

Marta Delpaz Peral, nossa primeira visitante no dia 8 de outubro, e sua
filha Nicole: surpresas e felizes com a lembrança de nossa equipe.

No site especial do INCA sobre o assunto, é possível ler muitas informações a respeito. Neste ano há até mesmo uma exposição criada em parceria com a FIOCRUZ: “A mulher e o câncer de mama” aborda aspectos históricos, médicos e culturais das mamas, com atenção especial ao câncer e às ações para o seu controle no Brasil. São por 22 painéis que percorrerão entidades diversas em nosso estado, levando informação importantíssima para todas as mulheres.

E, neste mês de novembro, está sendo aos poucos solidificada a campanha do "Novembro Azul": também lembrando sobre a importância da prevenção quando se trata de saúde. Mas esta é voltada para os homens: as sociedades médicas recomendam que homens a partir dos 50 anos façam o exame de próstata anualmente - ou acima dos 40, caso esteja inserido nos fatores de risco. O período é agora considerado como "o mês mundial de combate ao câncer de próstata". Saiba mais no site oficial.

E agora, no ar, o "Novembro Azul"!

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

O Dia Nacional da Cultura

O Carnaval é uma das festas mais populares de nosso país: um dos ícones de nossa Cultura.

Você sabia que, no dia 5 de novembro, comemora-se o Dia Nacional da Cultura? Pois é, mas duas perguntas devem ser respondidas de pronto: a primeira é? O que é CULTURA?

Existem variadas definições, você deve saber, mas uma que é bastante aceita e completa é a seguinte:

"CULTURA é todo o complexo que inclui o conhecimento, a arte, as crenças, a lei, a moral, os costumes e todos os hábitos e aptidões adquiridos pelo homem, não somente em família, como também por fazer parte de uma sociedade como membro dela que é."

Cada país tem a sua própria cultura, que é influenciada por diversos fatores. Um exemplo: a cultura brasileira é marcada pela alegria, e isso se reflete na música, caso do samba. No caso da cultura portuguesa, o fado é o patrimônio musical mais famoso, que reflete uma característica do povo português: o saudosismo.

Monumento a Padre Cícero em Juazeiro do Norte, Ceará: a religiosidade  também é uma parte da Cultura.


Cultura também é definida em ciências sociais como um conjunto de ideias, comportamentos, símbolos e práticas sociais, aprendidos de geração em geração através da vida em sociedade. Seria a herança social da humanidade ou ainda de forma específica, uma determinada variante da herança social.

A segunda pergunta que se coloca é: e por que esta data foi escolhida para comemorarmos a cultura? O motivo é simples e é bastante justo: trata-se de uma homenagem a Rui Barbosa, jurista, político, escritor e diplomata, que viveu entre 1849 e 1923. Nascido neste dia em 1849, o "Águia de Haia" é um dos personagens mais conhecidos da história do Brasil. Nascido na Bahia, em 5 de novembro de 1849, fixou-se no Rio de Janeiro em 1879, ao ser eleito para a Assembleia Legislativa da Corte Imperial. Orador, jornalista, defensor das liberdades civis e uma série de predicados do tipo sempre rodeiam seu nome e sua história. Estudioso da língua portuguesa, presidiu a Academia Brasileira de Letras após a morte de Machado de Assis. Em 1907, representou o Brasil na Segunda Conferência Internacional da Paz em Haia e, já no final de sua vida, foi eleito Juiz daquela Corte Internacional. Realmente um homem como poucos!

O "Ofício das Baianas de Acarajé" já é um bem imaterial reconhecido e um símbolo de nossa Cultura.


Mas é bom que se destaque: cultura não é apenas o que se lê nos livros ou o que se vê em museus. Cultura é também, em grande medida, o que vem naturalmente do povo que habita determinado país. Como o nosso tem dimensões continentais, é natural que hajam fortes culturas regionais, isto é, atividades, festas e crenças que variam de região para região.

Pratos típicos como a feijoada também são parte da Cultura de nosso povo.


Como um resumo, podemos dizer que a cultura brasileira se subdivide em:
  • História 
  • Pessoas 
  • Línguas 
  • Mitologia e folclore 
  • Culinária 
  • Festas 
  • Turismo 
  • Religião 
  • Arte 
  • Literatura 
  • Música
  • Mídia
  • Esporte
  • Monumentos e
  • Símbolos

Só que, "como tudo muda o tempo todo", a cultura brasileira - ou a de qualquer outro lugar do mundo - se modifica se expande em várias direções, de várias maneiras... Portanto, não se pode definir que a cultura esteja apenas dentro destes itens acima, e que não há nada a mais. Existe sim!

A Folia de Reis - ou Reisado - é uma manifestação folclórica das mais antigas em nosso país.


Podemos analisar nossa cultura a partir da formação de nosso povo - os colonizadores portugueses, os índios que aqui já moravam, os negros que vieram escravizados, os imigrantes de diversos países em diferentes momentos - como também através de seus componentes, listados acima. Mas é muito importante que saibamos que a cultura é uma das riquezas de um povo, e que particularmente o nosso, é muito, muito bem "aquinhoado" neste particular: nossa cultura é vasta, é variada, é complexa, é popular, é erudita, é de toda a parte.

O futebol é um dos esportes mais populares do país: muito praticado
por amadores, é também um dos pontos altos de nossa cultura.


O Dia Nacional da Cultura foi criado em 15 de maio de 1970, pela Lei nº 5.579, e serve para nos lembrar do tanto que precisamos VIVER nossa cultura. Sempre alertas para o fato de que a cultura é um conceito que está sempre em desenvolvimento, e com o passar do tempo ela é influenciada por novas maneiras de pensar inerentes ao desenvolvimento do ser humano. Ou seja: algo que sempre cresce, sempre se renova, sempre encanta.

FONTES:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cultura_do_Brasil

http://www.todamateria.com.br/cultura-brasileira

http://www.casaruibarbosa.gov.br

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Intervenção Artística "Um Jantar com Benjamin" - os convidados

Conforme esclarecemos no post anterior, escolhemos nove convidados para a mesa de "Um Jantar Com Benjamin", além do próprio aniversariante e de sua esposa, Maria Joaquina. Vamos conhecer cada um deles um pouquinho?


Lauro Sodré
Foi aluno de Benjamin Constant, com quem aprofundou nos ensinamentos Positivistas de Auguste Comte. Também junto ao professor, frequentou encontros que planejavam o golpe republicano. Depois do 15 de novembro de 1889, ocupou cargos públicos: foi o primeiro governador do Pará e compôs a primeira Constituinte da República.


Julio de Castilhos
Bacharel em Direito e jornalista de palavras ácidas e irônicas, foi um republicano fervoroso e não poupava esforços para criticar a monarquia. Seu jornal "A Federação", desencadeou as afamadas Questões Militares, uma série de desentendimentos e conflitos públicos entre os militares e o governo imperial. Esse embate é considerado um dos principais fatores que produziram o contexto favorável à proclamação da República e, consequentemente, a queda do Império.




Rui Barbosa



Jurista, político, diplomata e jornalista, participou da mudança do regime de governo em 1889. Em 9 de junho daquele ano, rejeita a indicação para assumir a Pasta do Império, no Gabinete do Visconde de Ouro Preto, alegando não figurar no programa o principio federalista que defendia. Em 9 de novembro do mesmo ano, publica o artigo "O plano contra a Pátria", onde defendia o exército na Questão Militar e pregava a necessidade de revolução. Com isso, é procurado por Benjamin Constant para a adesão à conspiração e compareceu, com outros republicanos, na casa de Deodoro da Fonseca em 11 de novembro. Quatro dias depois é proclamada a República e Barbosa assume o Ministério da Fazenda e o Ministério da Justiça, esse último como interino. Em dezembro de 1889 é nomeado como Primeiro Vice-Chefe do Governo Provisório.


Quintino Bocaiúva


Nascido em Itaguaí, interior do estado do Rio de Janeiro, Quintino Antônio Ferreira de Sousa Bocaiuva foi advogado, jornalista e político brasileiro conhecido pela sua importância no processo da Proclamação da República no Brasil. Como jornalista, Bocaiuva está entre os que escreveram no jornal "A República - o Manifesto Republicano", em 1870, aproximando elementos civis e militares descontentes com a monarquia. Reuniu-se com Benjamin Constant e outros conspiradores republicanos na casa do Marechal Deodoro, em 11 de novembro de 1889. Após a instauração da República, Quintino assumiu a pasta de Relações Exteriores tratando de questões limítrofes entre Brasil e Argentina. Em 1899 foi senador e eleito Presidente do Estado do Rio de Janeiro, de 1900 a 1903.



Auguste Comte 


Ao cursar medicina na Escola Politécnica de Paris, passa a estudar uma forma de reorganizar o conhecimento humano a partir da ideia de que a análise científica e as ciências biológica e exata podem servir seus princípios ao estudo da sociedade. Assim criou o Positivismo. As ideias positivistas inspiraram a Proclamação da República e o lema da bandeira do Brasil ("Ordem e Progresso").






Clotilde de Vaux

Considerada a "Musa do Positivismo", conheceu Auguste Comte após um casamento desfeito, e viveram uma íntima amizade. Apresentada ao Positivismo, colabora com a divulgação dos ideais positivistas e escreve, com este objetivo, o romance “Wilhelmine”. Após sua morte em 1846, Comte a eleva ao status de "mãe espiritual da Religião da Humanidade".






Pinheiro Machado


Estudante na Escola Militar, abandonou o curso para lutar na Guerra do Paraguai. Formado em Direito, criou com alguns colegas o "Clube Republicano Acadêmico" e fundou o jornal “A República”. Defensor do estabelecimento da República no Brasil, lançou-se à propaganda do regime acompanhado por republicanos como Julio de Castilhos. Após a Proclamação da República, foi eleito senador.





Marechal Deodoro  


Aos 21 anos integrou as tropas que se dirigiram a Pernambuco para combater a Revolução Praieira e participou de diversos conflitos durante o Império, como por exemplo, a Guerra do Paraguai. O governo do Marechal termina em 1894, num período marcado por problemas econômicos e por uma crise política que teve seu ápice na dissolução do Congresso Nacional. A oposição a Deodoro levou-a à renúncia em 23 de novembro de 1891.






Dom Pedro II, o "Imperador Republicano"
Nascido no Rio de Janeiro em 1825, foi o segundo e último Imperador do Brasil. Tornou-se príncipe regente aos seis anos de idade, quando seu pai, Dom Pedro I, abdicou do trono. Aos 15 anos foi declarado maior e coroado Imperador do Brasil. O ideal republicano presente no país em diversos movimentos - como a Guerra dos Farrapos e a Revolução Praieira, se fortaleceu, especialmente após a Guerra do Paraguai, sobretudo no ambiente militar. Com a derrubada do governo imperial e proclamada a República, Dom Pedro II embarca com a família para Portugal.



E a esposa de Benjamin Constant, a verdadeira guardiã de sua memória, Maria Joaquina Botelho de Magalhães
Filha do diretor do "Imperial Instituto dos Meninos Cegos", Cláudio Luis da Costa, conheceu Benjamin Constant quando este assumiu o ensino de matemáticas na escola. Casaram-se e ela foi venerada por seus discípulos como a grande inspiradora das virtudes positivistas do "Fundador da República".



Bem, o total de convivas à mesa é de 11 pessoas. Como são 12 lugares, restou um lugar para um “convidado desconhecido”... E queremos que você indique qual personalidade deveria sentar-se neste lugar. Pode ser um brasileiro, um estrangeiro, contemporâneo de Benjamin Constant ou não: pode até  mesmo ter vivido antes ou depois de sua época. a escolha é livre, já que, na mesa em exposição, misturamos personagens de épocas e origens diferentes, pensando em pessoas que compartilhariam os ideais e ideias de nosso patrono – ou que, até mesmo, que o inspirariam.

Ao fim da exposição, divulgaremos as personalidades mais lembradas pelos visitantes que vierem aqui no museu - que inclusive participarão do sorteio de uma peça de Paulo Vergueiro (veja post anterior) - e também as que foram escolhidas via internet.

Participe! Basta preencher o formulário abaixo e dizer: quem falta na mesa de "Um Jantar com Benjamin"?


Create your free online surveys with SurveyMonkey , the world's leading questionnaire tool.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Intervenção Artística "Um Jantar com Benjamin"

A mesa montada: ambiente clássico com um jogo de mesa contemporâneo e bem brasileiro!

Inaugurada no último sábado, dia 18 de outubro, aniversário de nosso Museu Casa, a Intervenção Artística "Um Jantar com Benjamin" ocupa a Sala de Jantar de nossa Casa Histórica com muita pompa. Utilizando peças em vidro artesanal reciclado do artista plástico Paulo Vergueiro, a mesa para o jantar de aniversário de nosso patrono conjuga o estilo contemporâneo com algumas peças clássicas de nosso acervo com muito acerto. A beleza das peças em vidro colorido, primordialmente da linha criada pelo artista neste ano, toda em verde e amarelo e com a forma da banana aplicada sobre as mesmas, chama a atenção de qualquer pessoa.

A ideia criativa veio da junção deste trabalho exclusivo e primoroso de Paulo Vergueiro com nossa vontade de marcar o aniversário de Benjamin com algo belo e diferente ser exposto. Somamos a isso conceitos históricos que gostaríamos de divulgar e, dessa forma, escolhemos nove convidados - além do próprio Benjamin e sua esposa, Maria Joaquina -para compor a "mesa do jantar". Expoentes como Rui Barbosa, Pinheiro Machado, e até Auguste Comte e sua esposa, Claudete de Vaux, estão “presentes à mesa”, onde incluímos uma breve biografia de cada um, para que o público entenda suas ligações com nosso patrono. Até mesmo o Imperador Pedro II - devido às suas ligações de amizade com Benjamin - está presente. E, sabendo de sua predileção pelo Sorvete de Pitanga, montamos uma mesa especial que contempla esta “paixão imperial”, contando com a receita de um legítimo sorvete feito à época, além da exposição de uma sorveteira do século XIX, peça de nosso acervo, trazida dos Estados Unidos de presente para Maria Joaquina - a Sra. Benjamin Constant - por um de seus genros.

Um dos lugares de um dos convidados.


Além disso a mesa contempla um cardápio sob medida para a ocasião, que homenageia os convidados com pratos como “Peru à Marechal Deodoro” e “Salada de Saumon à Clotilde de Vaux”, o que nos recorda de como eram pomposas as refeições no século XIX.

Mas a mesa não está completa: nove convidados mais Benjamin e sua esposa totalizam onze pessoas. Como são doze cadeiras, restou um lugar para um “convidado desconhecido”. Esta foi a forma de envolvermos o público visitante em nossa comemoração, que se estende até a Semana da República – entre 15 e 23 de novembro: quem vier visitar a mostra receberá uma cédula para preencher e depositar em uma urna, indicando qual personalidade indicaria para fazer parte deste “jantar”. Decidimos não direcionar a escolha, nem mesmo a nacionalidade, já que, na mesa em exposição, misturamos personagens de épocas e origens diferentes, pensando em pessoas que compartilhariam os ideais e ideias de Benjamin Constant – ou que, até mesmo, que o inspirariam.

A bandeja que será sorteada entre os visitantes que participarem de nossa enquete, aqui no Museu


Ao fim da exposição, divulgaremos as personalidades mais lembradas pelos visitantes e sortearemos entre os mesmos uma das bandejas em vidro feitas por Paulo Vergueiro, em exposição na mesa.

E você também pode participar de nossa enquete! Basta preencher o formulário abaixo e dizer: quem falta na mesa de "Um Jantar com Benjamin"? Participe!

Create your free online surveys with SurveyMonkey , the world's leading questionnaire tool.


Serviço: 
“Um Jantar com Benjamin”
De 18/10 a 23/11/2014
De quarta a sexta das 10h às 17h
Sábados e domingos das 13h às 17h
Sala de Jantar do Museu Casa de Benjamin Constant
Rua Monte Alegre, 255
Santa Teresa – Rio de Janeiro
Tels.: 3970-1168 – 3970-1177

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Nos Jardins de Benjamin


No entorno de nosso Caramanchão, vamos comemorar nosso aniversário de 32 anos de fundação

Neste sábado, dia 18 de outubro, completamos 32 anos de fundação. É um bom tempo, que dá para ter um retrospecto de por onde trilhamos e refletir no que o futuro nos reserva. Mas, neste dia, queremos compartilhar nossa alegria com você, através de um pequeno evento em nosso parque - verdadeiro jardim de nosso Museu Casa - com algumas atividades interessantes. Veja a programação abaixo:

A Sala de Jantar de nosso Museu Casa será ocupada por uma bela intervenção artística!
  • 10h às 17h - visitas mediadas ao Museu Casa, com a mostra “Um jantar com Benjamin” - Intervenção Artística com peças do artista plástico vidreiro Paulo Vergueiro, na Sala de Jantar - Entrada Franca
 Atenção: vai ter uma pequena promoção ligada à esta ambientação. Fique atento e participe!

Feiras do troca estão acontecendo em praças e parques. Venha participar da nossa!

  • 11h - Feira Sustentável do Troca - Traga o que você quiser trocar - roupas, livros, CDs, relógios, utensílios, etc. - estenda sua canga ou toalha, garimpe e divirta-se!
Uma novidade em diversos bairros e espaços da cidade, as "feiras do troca" são momentos onde as pessoas se encontram para renovar o que têm em bom estado, funcionando, mas que não mais utilizam. É sustentável trocar uma blusa, ou uma bolsa, ou um livro que você não quer mais, por outro objeto que você deseja. Quem sabe o que você vai trazer não se transforma em um CD daquele cantor que você tanto gosta, ou numa sandália perfeita para dias descontraídos, ou até mesmo um novo relógio de parede para sua cozinha?


Vamos fazer uma bela mesa de orgânicos? Colabore!
Vai ter também um Lanche colaborativo orgânico! Traga bolos, pães, biscoitos, frutas, sucos, etc. e compartilhe com seus amigos e vizinhos!

E, pensando em solidariedade, estaremos recebendo 1Kg de alimento não perecível por pessoa para doação ao Ballet de Santa Teresa, entidade parceira em diversas ações culturais.

Toda a programação pode sofrer alterações, em função do tempo ou de alguma eventualidade. Mas também pode haver mais novidades! Estamos pensando, por exemplo, numa oficina ecológica para os pequenos, entre outras coisas...

SERVIÇO:  
Nos Jardins de Benjamin
Sábado, 18 de outubro de 2014 - a partir de 10h da manhã
Atividades no Parque do Museu Casa de Benjamin Constant
Rua Monte Alegre, 255 - Santa Teresa
Tels.: 3970-1168 - 3970-1177